27 de janeiro, 2016
2065

AVARÉ/SP - coleta de lixo; mato pela cidade... descaso, boicote ou o que falta???

A questão da limpeza pública de uma cidade, a maioria vê pelo lado estético, mas também é um problema de saúde, verbas públicas e desgastes. Sem contar que é um sério problema ambiental, tanto que existe até uma legislação específica, a Lei nº 12.305/10 de 02/10/2010, que institui a Política Nacional de Resíduos Sólidos (PNRS) que contém instrumentos importantes para o enfrentamento dos principais problemas ambientais, sociais e econômicos decorrentes do manejo inadequado dos resíduos sólidos, que vai do lixo domiciliar, comercial, industrial, da saúde, entulhos, etc...

"A lei prevê a prevenção e a redução na geração de resíduos, tendo como proposta a prática de hábitos de consumo sustentável e um conjunto de instrumentos para propiciar o aumento da reciclagem e da reutilização dos resíduos sólidos (aquilo que tem valor econômico e pode ser reciclado ou reaproveitado) e a destinação ambientalmente adequada dos rejeitos (aquilo que não pode ser reciclado ou reutilizado)...". Acesse o texto da lei e comentário sobre ela nos links:  Aqui ou Aqui.

E qual a situação de Avaré neste contexto? 

É uma das poucas cidades do país que tem coleta de lixo diária, nos principais bairros da cidade; não se tem coleta seletiva e nem o triturador de entulhos conseguiu colocar em uso. 

A redução da coleta diária para dias alternados e a coleta seletiva, economizaria no mínimo 40% das despesas que se tem hoje com a coleta e aterro sanitário, sem levar em conta o ganho social (cooperativa dos trabalhadores na reciclagem) e ambiental (redução do lixo no aterro sanitário e tempo de vida útil do mesmo).

Tivemos problemas da falta de fiscalização há décadas e com isso os inúmeros terrenos baldios, abandonados, com mato, lixo, entulho, sem calçada e muro. Nesta gestão teve uma recente mudança na lei (valor da multa), mas mesmo assim, a estrutura necessária para cumprir a fiscalização e punição não é suficiente. O investimento teria que ser maior, pois muitos só respeitam a lei quando mexe no bolso.

O mato nas calçadas, guias e ruas, com a proibição da capina química, embora ecologicamente correto (muitos discordam), mas na prática dificulta a manutenção de uma cidade limpa, pois se exige mais mão de obra. Não só em Avaré, como no Brasil inteiro, a prática muitas vezes é, como diz o ditado popular "limpar onde o padre pisa..." e o restante deixa a desejar.

Foto: erosão na rua em razão de obra num terreno, que já levou parte da calçada, os latões com lixo foram para a cratera. Isto ocorreu no início de set/2015. Nem proprietário do imóvel e ou prefeitura tomam providências. Ao lado deste local ainda ficam os novos latões, que aparecem nas fotos da capa e acima.
Como exemplo concreto: moro num bairro próximo ao centro e passo por problemas idênticos da periferia: falhas na coleta de lixo, falta de limpeza da rua, mato nas calçadas e terrenos, buracos... Embora seja uma rua sem saída, de apenas 2 quadras mas o aspecto dela é de uma rua abandonada, desamparada, orfã - mas as avenidas vizinhas, Gilberto Filgueiras e Prefeito Misael E. Leal são as primas ricas, bonitas, sem mato, canteiros bem cuidados, sem lixo, guias pintadas... Todo cuidado que se tem nas avenidas vizinhas, não sobra nem 1% para nós... fico com dó de todos que moram ou circulam por aqui e também dos bairros mais distantes. 

E isso ocorre há anos! Eu estou aqui desde set/2009 - ainda na gestão Barchetti. Na gestão atual não tem sido diferente (para não dizer, em alguns momentos até mais difícil), toda vez é uma novela para conseguir ao menos uma limpeza, poda das árvores nas calçadas (3 sibipiruna e uma 1 aroeira salsa).

Na 3ª feira (26/01/2015) "eu carpi e tirei o mato defronte minha casa e da calçada de terra do vizinho" (foto ao lado e abaixo), fui lá no "lixão da rua", cortei parte do mato da calçada, recolhi todo lixo jogado fora dos latões, por sinal, mesmo com o calor desses dias, vários plástico com água parada, um ótimo criador do mosquito da dengue, varri o local e rezei que alguém tome providência. O mato do meio fio e rua, eu não mexi, deixei...

Sai por volta das 19h e voltei as 22h. Qual foi minha surpresa? Recolheram o lixo e jogaram os latões na calçada, tombados (vide última foto). Uma atitude estranha, agressiva, violenta, desrespeitosa... Será que não perceberam que o local estava limpo, não tinha mais lixo na calçada, no meio do mato, que tem moradores da rua ou mesmo que trabalham aqui, mulheres, pessoas de idade, que vão colocar o lixo ali e eles jogam os latões daquela maneira... Liguei no Paço Municipal, denunciei o problema a uma funcionária do Gabinete do Prefeito e depois no Centro Administrativo, falei na Secretaria do Meio Ambiente - pergunta se alguém deu retorno ou ao menos vieram ver o que aconteceu? Foto abaixo, como eu tinha deixado o LIXÃO da rua Irmã Dulce pelo menos a calçada varrida e lixo nos latões:

Não entro no aspecto demagógico populista que este ou aquele prefeito cuida ou cuidava mais da cidade. Faço parte do CMPD conselho Municipal do Plano Diretor e desde 2010 sempre falei: "a precariedade da máquina pública de Avaré, chegou num ponto crítico, que acredito que nem o Líbano, com 20 anos de guerra civil, guerrilha entre facções árabes, palestinos, os ataques da Síria e Israel... enfim, quando tiveram um momento de paz, o país voltou a andar". A destruição de Avaré foi muito mais maléfica e nefasta que uma guerra civil.

Os problemas de Avaré vão desde demandas do funcionalismo, falta de estrutura física (prédios e equipamentos), falta de veículos, máquinas, informatização, segurança, etc... sem contar é claro, as dívidas e agora a redução das receitas.

Foto abaixo, compare a situação da calçada com a foto da capa da matéria, depois que eu varri e coloquei o lixo nos latões. Mas depois veja os latões jogados pelos próprios funcionários da limpeza pública. A caixa de papelão na calçada, com lixo dentro, foi jogada ali, depois que os latões estavam tombados

Independente de tudo, é nos momentos da crise que se faz a diferença.

Nosso bairro sempre teve uma ação propositiva e colabora com o que é possível e até mais. Mas, e a parte da prefeitura? Se ela pode cuidar diariamente das ruas vizinhas, por que pelo menos de vez em quando não pode passar por aqui???
_____________________________________________________________________________________________
Acesse, curta e recomende o JORNAL DO NASSIF

Participe do BLOG e comente esta matéria (dentro das regras abaixo)!

- Enviaremos um e-mail para confirmar se a postagem realmente é sua e não um fake (seu endereço de e-mail não será publicado, será mantido sob sigilo).
- Os comentários serão moderados e as opiniões aqui expressas são de responsabilidade exclusiva do autor do comentário.
- Não serão aceitas mensagens com links externos ao site, em letras maiúsculas, que ultrapassem 1000 caracteres, com ofensas pessoais, preconceituosas, ou que incitem o ódio e a violência.
- Não há, contudo, moderação ideológica.
A ideia é promover o debate mais livre possível, dentro de um patamar mínimo de bom senso e civilidade.
Obrigado!

Limite de caracteres no comentário : 1000

Total restante: